Semifrio de Pêssego e Mirtilo


Estamos no Verão!!
O calor tem sido imenso, uma saída à rua é como uma corrida de 10 km, chego a casa a suar, eu bem sei que estamos no Verão, mas estas mudanças de temperaturas repentinas não me agradam nada, e prova disso é que enquanto escrevo, aqui está a começar a chover.


Estes dias pedem muita água ao longo do dia, comidas frescas e uns geladinhos para refrescar.
Tenho aproveitado esta época de tanta fruta para fazer sumo de toranja  acompanhado com muitas pedras de gelo, sumo de melancia com ameixa, sumo de nectarinas e em breve será sumo de meloas, ao natural as ameixas e os mirtilos são a fruta de tantos lanches, vou esquecer o calor e pensar que afinal o Verão tem coisas boas!


Esta sugestão é perfeita para refrescar nestes dias e para dar saída à fruta da época, mais uma vez os mirtilos são os eleitos.


Semifrio de Pêssego e Mirtilo
receita adaptada do livro Love Aimee beautiful friends family, de Aimee Twigger 

  • 235 gramas de mirtilos 
  • 55 gramas de açúcar
  • 1 colher de sopa de água 
  • 4 pêssegos 
  • 55 gramas de açúcar 
  • 200 ml de natas 
  • 750 gramas de iogurte grego natural 

Calda 
  • 40 gramas de mirtilos 
  • 2 colheres de sopa de açúcar 
  • 1 colher de sopa de água 

Colocar os mirtilos, as 55 gramas de açúcar e a colher de sopa de água num tacho pequeno, levar ao lume até os mirtilos estarem macios, retirar e passar a varinha até obter um puré. 

Em outro tacho pequeno colocar os pêssegos cortados em meias luas grandes ( sem caroço) juntamente com o açúcar e levar ao lume até a fruta ficar macia e a casca começar a sair.

Retirar, deixar amornar, tirar a casca dos pêssegos e triturar com a varinha até obter um puré. 

Numa tigela bater as natas até estarem firmes. 

Coar o iogurte para uma tigela grande e com ajuda de uma espátula juntar as natas batidas, envolver tudo muito bem. 

Juntar o puré de pêssego à mistura anterior e voltar a misturar tudo muito bem.

Numa forma de plástico e com tampa dispor no fundo 7 colheres de sopa do puré de mirtilos, levar ao congelador.

Dividir a mistura do puré de pêssego por duas tigelas, sendo que uma delas deve ter um pouco mais da mistura.

Juntar o puré de mirtilos na tigela com mais mistura de puré de pêssego, misturar tudo muito bem e deitar na forma sobre o puré de mirtilos, levar ao congelador cerca de 10 minutos.

Retirar a forma do congelador e deitar com cuidado a restante mistura do puré de pêssego, levar ao congelador cerca de 6 horas.

Calda

Colocar todos os ingredientes para a calda num tacho pequeno e levar ao lume e deixar ferver durante cerca de 5 minutos, retirar passar a varinha mágica até obter um puré, deixar arrefecer totalmente e aplicar.

Desenformar o semifrio e servir cada fatia regada com a calda.

Se tiver dificuldade em desenformar, colocar a forma numa tigela com água quente durante alguns segundos.

Bom Apetite...


Crumble de Cerejas com Gelado de Baunilha



Daqui a poucos dias o mês que mais gosto termina.
Junho é um mês especial para mim, é nele que festejo o meu aniversário, em que realmente começo a ter noção que em breve irei de férias, um mês com os dias grandes e com umas temperaturas tão boas, é mesmo especial.


Junho trás com ele tanta fruta e legumes, e este ano as árvores de fruto estão tão carregadas que chegam a partir, para além do ruibarbo que já por cá passou, pela primeira vez as minhas amoras gigantes (têm aspecto de framboesa) resolveram dar fruto, e que ano tão bom em ameixas e muitas delas serão reduzidas a compota.


É durante este mês que as cerejas abundam por cá, não existe nenhuma cerejeira em casa mas existe a mesma Senhora de todos os anos, no mesmo local e sempre com imensos quilos de cerejas para vender, é quase paragem obrigatória para tantos que passam naquela estrada.
Cerejas é o tema do desafio da Marta, foi uma escolha tão boa, e eu trago uma sugestão com duas receitas.
Podem fazer apenas o crumble sem gelado que vão gostar na mesma, claro que a todos os gulosos aconselho a fazerem as duas receitas.
Em relação ao gelado foi uma enorme surpresa, tão cremoso, com um aroma a baunilha tão bom, e com esta simplicidade toda descobri que não vou descansar enquanto não experimentar todas as receitas de gelados deste livro.


Crumble de Cerejas com Gelado de Baunilha 
receita adaptada do livro Alternative Baker de Alanna Taylor-Tobin


Cerejas

  • 680 gramas de cerejas descaroçadas cortadas em pedaços 
  • 1 colher de sopa de amido de milho 
  • 25 gramas de açúcar amarelo

Cobertura 

  • 65 gramas de farinha de aveia 
  • 55 gramas de farinha de arroz
  • 12 gramas de farinha de tapioca 
  • 50 gramas de flocos de aveia 
  • 100 gramas de açúcar amarelo
  • 85 gramas de manteiga sem sal, fria, e em pedaços pequenos 
  • 20 gramas de chocolate preto em pedaços pequenos 
  • 1 colher de chá de extracto de baunilha 
  • 1/2 colher de sal fino 
  • 1 colher de sopa de açúcar demerara 

Gelado de Baunilha (sem máquina) 
receita retirada do livro Vanilla Bean Baking de Sarah Kieffer

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 colher de sopa de extracto de baunilha 
  • sementes de uma vagem de baunilha 
  • 57 gramas de queijo creme 
  • 2 pacotes de natas

Gelado:  

Numa tigela misturar com a batedeira eléctrica o leite condensado, o extracto e as sementes de baunilha. 

Em outra tigela bater o queijo-creme até estar cremso e acrescentar as natas, bater bem até ficarem firmes.

Adicionar a mistura anterior à mistura do leite condensado e voltar a misturar até estar tudo muito bem incorporado. 

Colocar o gelado num recipiente com tampa e que possa ir ao congelador. 

Levar de uma dia para outro o gelado ao congelador sempre com a tampa. 


Cerejas e Cobertura

Pré-aquecer o forno a 190ºC. 

Colocar numa tigela os ingredientes para as cerejas e envolver tudo muito bem, ir mexendo enquanto se faz o crumble, três vezes é o  suficiente.

Misturar numa tigela grande a farinha de aveia, de arroz e de tapioca com o açúcar, os flocos de aveia, o sal e o chocolate. 

Acrescentar a manteiga e o extracto de baunilha à mistura anterior e com as pontas dos dedos formar uma massa com grumos.

Despejar a mistura das cerejas incluindo o sumo numa assadeira e dispor por cima os grumos da cobertura.  

Salpicar com o açúcar demerara e levar ao forno cerca de 40 minutos.  

Retirar e deixar arrefecer à temperatura ambiente.  

Servir acompanhando de uma bola de gelado de baunilha.  

Bom Apetite...

Spanische Windtorte


Apresento-vos um bolo de casamento!!
Este bolo foi uma alegria, por momentos tive a sensação que devia de fazer um acordo com a rede eléctrica, depois os nomes que por cá lhe puseram, mas a resposta mais acertada para mim veio da minha mãe, nada mais que um bolo de casamento do século passado, embora ache que ela queria dizer de há dois séculos.


Quando li o post da Susana tive a sensação que a coisa ia correr mal, muito mal, sou uma pessoa sem grande vontade para esperar, e aquelas idas todas ao forno, deixar arrefecer, decorar e voltar arrefecer foi um desânimo, mas como já aqui disse eu adoro estes desafios, aprender e crescer é sempre tão bom, portanto mãos à obra.
Houveram duas tentativas, a primeira correu mal porque não esperei que as rodelas arrefecessem, e porque a conversa com a vizinha é sempre tão boa que a base e a tampa queimaram,desistir? Nunca.
No domingo meti na cabeça que  tinha que ser e foi, mas atenção a tampa não arrefeceu totalmente e daí ter custado a cortar, mas e agora? É uma receita difícil?
Nada, nada, achei a minha receita do  bolo sao marcos bem mais trabalhosa, e se fiquei com receio do merengue suiço quando comecei a fazer pensei é só isto?
Acreditem em nada esta sugestão deve assustar, para mim há alguns pontos importantes para bons resultados, primeiro sejam pacientes deixem mesmo arrefecer todas as rodelas e tampas, a temperatura do forno deve ser seguida à risca assim como é importante pré-aquecer o mesmo, da segunda vez que fiz coloquei mais cedo e notei melhores resultados, a Lia diz que não esperem conseguir cortar fatias perfeitas, palavras sábias, esqueçam isso, eu por momentos até pensei fazer um trifle!
A frescura dos morangos combina tão bem com o crocante do merengue, é um casamento perfeito, em relação às flores podem sempre usar pasta de açúcar ou até cristalizar uns amores-perfeitos lilás até que esta era a minha ideia inicial mas tinha que esperar ainda mais e daí ter perdido a vontade.
E depois de tanta espera aqui fica a minha participação Susana.


Spanische Windtorte
receita retirada do blog basta cheio

Merengue Francês

  • 7 claras à temperatura ambiente 
  • 1/2 colher de chá de creme tártaro (usei fermento em pó)
  • 380 gramas de açúcar 

Merengue Suiço 
  • 2 claras à temperatura ambiente
  • 125 gramas de açúcar

Recheio 
  • 200 ml de natas para bater 
  • 25 gramas de açúcar em pó
  • 25 gramas de açúcar
  • 200 gramas de morangos maduros cortados em pedaços pequenos 
  • 2 colheres de sopa de vinho do Porto  

Decoração
  • pétalas de flores em lilás

Pré-aquecer o forno a 120ºC.  

Forrar três tabuleiros com papel vegetal e desenhar 5 círculos com 18 cm e untar o papel com manteiga, reservar. 

Numa tigela limpa bater as claras (7) com fermento até estarem firmes e juntar o açúcar colher a colher, batendo bem entre cada adição, deve deixar de ouvir ao bater o açúcar. 

Colocar o merengue num saco de pasteleiro com a boquilha larga e lisa e preencher dois círculos começando pelo centro.

Desenhar nos três círculos o contorno dos mesmos devendo ter cerca de 3 cm.  

Levar ao forno cerca de 45 minutos até o merengue estar firme.  

Retirar do forno e deixar arrefecer completamente.

Forrar novamente um tabuleiro de forno com papel untado e colocar um dos discos preenchidos, por cima deste e com ajuda do saco de pasteleiro verter montinhos de merengue e por cima colocar um dos discos, voltar a dispor montinhos de merengue no disco e colar o segundo disco, terminar por colar o terceiro disco como foi feito nos restantes. 

Depois de estar o bolo montado com a base e os discos barrar por fora com ajuda de uma espátula deve ficar uniforme.  

Levar ao forno ( não desligue depois de retirar os discos) cerca de 35 minutos.

Retirar e deixar arrefecer.  

Preparar o merengue suiço.

Numa tigela limpa e que possa ir a banho-maria colocar as claras com o açúcar e levar ao lume em banho-maria batendo com uma vara de arames até o açúcar estar dissolvido, retirar e com a batedeira bater muito bem o merengue até estar firme e frio.

Deitar o merengue num saco de pasteleiro com a boquilha frisada e decorar a caixa de merengue e a tampa.

Levar ao forno pré-aquecido durante 20 minutos a 120ºC.

Retirar e deixar arrefecer completamente.

Decorar o bolo com as flores, para as mesmas aderirem colocar merengue suíço em cada pétala como se fosse cola.

Numa tigela colocar os morangos e peneirar o açúcar em pó por cima e salpicar com o vinho do Porto, deixar repousar 35 minutos.

Bater as natas com o açúcar até estarem firmes, coar os morangos de forma a irem com muito pouco liquido e envolver nas natas.

Preencher a caixa com o recheio de morangos e tapar com a tampa decorada.

Servir ou se não consumir todo guardar no frio.

Bom Apetite...

Pain d´Epices


Um pão com cara de bolo a fazer lembrar os dias frios quando estamos quase no Verão e que me faz pensar no Natal.
Uma sugestão pensada para o desafio da Ana mas que demonstra tão bem como eu sou uma pessoa que anda tantas vezes com a cabeça na lua, pois afinal o que ela queria era uma receita destas mas com chocolate, pois, agora é tarde e só no dia em que ia lá colocar o link é que cai em mim!


Eu li o post todo, até ao fim, mas saí de lá tão enganada!
Eu sou assim, uma cabeça na lua, nunca sei dos óculos, das chaves do carro, às vezes dou por mim à procura de algum cartão e ele a olhar para mim, e depois existe o telemóvel, embora ele seja quase do meu tamanho já perdi a conta às vezes que tenho que pedir para ligarem para ele.


Mas também não é tudo mau nesta cabeça!!!
Memorizo muito bem o rosto das pessoas e locais por onde passo, mas não sou muito boa a memorizar datas de aniversário, essas têm que estar aponte mesmo das pessoas especiais sou tão esquecida tenho que admitir.
Não era para trazer este pain d´epices, mas teve tantos elogios que era injusto, inclusive, tive quem dissesse que é muito melhor o meu que o verdadeiro e vindo de alguém que teve anos na França só posso ficar feliz, e eu própria que nunca fui grande fã depois de provar este rendi-me.


Pain d´epices 
receita adaptada do livro Worlds Best Cakes, Roger Pizey

  • 200 gramas de mel 
  • 120 ml de leite
  • 50 gramas de manteiga 
  • 50 gramas de açúcar amarelo
  • 2 ovos grandes 
  • 120 gramas de farinha de arroz
  • 120 gramas de farinha 
  • 3 estrelas de anis  
  • 1 pau de canela 
  • 2 colheres de chá de fermento em  pó
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 1 colher de chá de noz-moscada 
  • 1/2 colher de chá de erva-doce
  • 1/2 colher de chá de gengibre em pó 
  • 2 colheres de chá de extracto de baunilha 
  • raspa de um limão pequeno 
  • raspa de uma laranja pequena 

Cobertura 
receita baseada na revista saveurs
  • 4 colheres de sopa de compota de laranja 
  • 2 colheres de sopa de água
  • 1 colher de sopa de vinho do Porto tinto

Pré-aquecer o forno a 180ºC. 

Barrar com manteiga e polvilhar com farinha uma forma de bolo inglês, reservar. 

Num tacho pequeno colocar o leite, o mel, o anis e a canela, levar ao lume até estar tudo dissolvido, retirar e juntar a manteiga, mexer muito bem até a manteiga estar derretida, reservar. 

Numa tigela bater com a batedeira o açúcar e os ovos até obter uma mistura cremosa, acrescentar a baunilha e as raspas, voltar a bater muito bem. 

Juntar ao preparado anterior as farinhas, o fermento em pó e as especiarias, misturar com a batedeira até estar tudo incorporado, por fim juntar a mistura do leite, misturar novamente.  

Despejar a massa na forma e levar ao forno cerca de 50 minutos.  

Retirar e deixar arrefecer na forma sobre uma rede de cozinha.  

Desenformar e com uma garfo picar o pão e verter a cobertura ainda quente. 

Cobertura 

Num tacho pequeno colocar todos os ingredientes e misturar tudo muito bem com uma vara de arames, levar ao lume até ferver, retirar e aplicar. 

Bom Apetite...

Bavaroise de Ruibarbo Com Xarope de Morangos


A primeira vez que vi uma receita com ruibarbo foi num livro da querida Mary Berry, comprei alguns livros dela para treinar o meu inglês num estágio, estava eu longe de saber que hoje iam ter tanto uso.
Na altura não dei importância a este legume, pensei que se nunca o tinha visto à venda não viria nenhum turista perguntar por ele, e assim foi, e ficou esquecido durante alguns anos.


Entretanto apaixonei-me pelos blogs de culinária, foi com eles que aprendi e muito, na verdade continuo aprender, esse é um dos motivos porque gosto de participar em alguns desafios que por cá existem.
Houve um dia em que vi mais que uma receita com ruibarbo em blogs diferentes, fiquei com tanta vontade de experimentar que nesse mesmo dia tive a sensação que não procurava um legume mas sim um diamante em bruto.


Um dia recebi uma saquinha com raízes para plantar, vieram de longe, pela mão de um Ser Humano fantástico e com um coração enorme que está sempre disponível para ajudar sem receber nada em troca, uma pessoa que é especial, e para mim as pessoas especiais criam momentos lindos e inesquecíveis e a Lia é uma dessas pessoas.


Cultivar ruibarbo é tão fácil, inicialmente não acreditei que tivesse sorte, passei meses a olhar para a terra na tentativa de ver um ponto verde a querer sair, depois e como estava no quintal a toupeira fez dele um divertimento, mas havia ainda a esperança da raiz plantada num vaso, quando cresceu foi transplantado para a terra e é daí que são estes caules.
Entretanto descobri um horto bem perto de casa que tem vasos de ruibarbo à venda, vi em duas lojas sementes e já o vi no supermercado.
Claro que se tiverem a oportunidade de plantar não o deixem de fazer, existe muita informação do seu cultivo, por cá a única preocupação que temos é regar quando estão os dias quentes e marcar o local com uma estaca pois no Inverno apenas fica a raiz.


A primeira receita com ruibarbo é esta, uma bavaroise com morangos que é das combinações que mais sucesso faz, é uma sobremesa deliciosa para os dias quentes, e o xarope de morango deixa um perfume tão bom pela cozinha, façam como eu caso tenham muitos, dobrem a receita e sirvam taças de morangos regados com o xarope, ninguém vai querer mais chantilly :).
E vejam na última foto como meu ruibarbo é vermelho!

Bavaroise de Ruibarbo Com Xarope de Morangos
receita retirada do livro Pratos e Travessas de Mónica Pinto

  • 300 gramas de talos de ruibarbo em pedaços pequenos
  • 2 colheres de sopa de água
  • 2 folhas de gelatina
  • 2 claras
  • 200 ml de natas
  • 110 gramas de açúcar

Xarope de Morango
  • 75 gramas de morangos lavados e cortados ao meio
  • 50 gramas de açúcar
  • 2 dl de água
  • 1 folha de gelatina
  • morangos para servir

Levar a lume brando o ruibarbo com a água e 50 gramas de açúcar com o tacho tapado até se desfazer, cerca de 15 minutos.  

Colocar as folhas de gelatina de molho em água fria.  

Com a varinha mágica fazer puré da mistura do ruibarbo com a água e o açúcar, juntar as folhas de gelatina e com com a vara de arames misturar tudo muito bem até estarem dissolvidas, reservar.  

Bater as natas até ficarem firmes.    

Bater as claras numa taça grande e assim que ficarem espumosas, juntar as 60 gramas de açúcar aos poucos, batendo entre cada adição até estarem firmes e brilhantes. 

Juntar o puré de ruibarbo frio às claras, envolver devagar e em movimentos suaves de cima para baixo.   

Acrescentar as natas e envolver da mesma forma que as claras, reservar no frio.  

Para fazer o xarope de morango, levar ao lume num tacho pequeno os morangos com a água e o açúcar, deixar ferver destapado durante 10 minutos.

Demolhar em água fria a folha de gelatina.  

Escorrer o xarope e descartar os morangos, juntar a folha de gelatina e misturar bem até esta estar dissolvida, deixar arrefecer.  

Assim que o xarope estiver frio distribuir uma colher de sopa por cada taça de forma a cobrir o fundo.

Distribuir a bavaroise pelas taças não enchendo até cima para na hora de servir regar com o xarope.  

Levar as taças ao frio até a bavaroise estar fresca e firme, guardar também o xarope.  

Servir com o xarope de morangos e morangos frescos.

Bom Apetite...


Quadrados de Iogurte e Cenoura


A semana que passou esteve tão quente, o calor que por cá se fez sentir obrigou a medidas de Verão!
A caneca com a água foi directa para o frigorífico, a roupa da cama foi reduzida, as janelas ficaram abertas até bem tarde, os casacos deixaram de ter uso e de repente tive a sensação que já estava em Agosto.


A rega da horta e das flores foi feita de manhã e ao fim do dia, a sombra e a maravilha do ar condicionado foram os nossos melhores amigos, por cá dizemos que o mês de Maio é maluco e tenho que concordar é que depois destes dias de calor tudo mudou, voltou a chuva, o nevoeiro e a trovoada, felizmente amanhã é Junho, o meu mês e um mês que costuma ser mais certinho que o anterior!


Estes quadrados foram feitos a pensar no desafio da Marta em que o tema deste mês são as cenouras que eu tanto gosto, e recordações não faltam, lembro-me de as comer cruas acabadas de saírem da terra, depois de lavadas claro, e o xarope de cenoura que me faziam, tão docinho, nesses dias não me importava de ter tosse.
Nestes dias de calor os meus gatitos estavam muito caseiros e quando iam para fora procuravam sempre uma sombra, umas vezes por baixo do estendal outras no meio das árvores, e foi na busca de uma sombra que a minha Cherry veio ter comigo e por lá ficou e como o espaço é de todos aqui está ela nas fotos, apresento-vos um bolinho tão bom e a minha gatinha, Cherry a fofa.

Quadrados de Iogurte e Cenoura 
receita adaptada do livro Estava Tudo Ótimo de Teresa Rebelo

  • 2 ovos 
  • 2 iogurtes naturais sem açúcar
  • 150 gramas de açúcar 
  • 60 ml de óleo de girassol
  • 100 gramas de cenoura ralada 
  • 240 gramas de farinha sem fermento
  • 1 colher de chá bem cheia de fermento em pó 
  • 1 colher de chá bem cheia de bicarbonato de sódio
  • raspa e sumo de uma laranja pequena 
  • açúcar em pó para decorar 

Pré-aquecer o forno a 180ºC.  

Forrar uma forma rectangular com papel vegetal untado com manteiga e polvilhado com farinha, reservar.  

Numa taça grande bater muito bem os ovos juntamente com o açúcar, o óleo e os iogurtes.  

Juntar à mistura anterior a raspa e o sumo da laranja e misturar. 

Envolver com ajuda de uma espátula a farinha, o fermento e o bicarbonato de sódio.

Adicionar a cenoura e misturar. 

Verter a massa na forma reservada e levar a cozer ao forno cerca de 30 minutos.

Retirar e deixar arrefecer na forma.  

Desenformar e cortar o bolo em quadrados, polvilhar com açúcar em pó. 

Bom Apetite...

Viennese Whirls


O tempo foi passando e com ele muita coisa aconteceu, houve momentos bons mas o cinzento permaneceu por cá.
Não podemos trazer de volta os dias que já não existem no calendário, os planos que tiveram que ser adiados e nunca vamos conseguir evitar um adeus para sempre.


Aprendemos tanto com estes momentos escuros, pensamos em tudo, estabelecemos prioridades, e sozinhos e em silêncio pensamos no que realmente nos faz falta e nos deixa feliz.
Voltar a este espaço deixa-me tão feliz, folhear um livro à procura de uma receita voltou a ter o mesmo encanto que tinha há meses.
Não sei o que se passará amanhã, mas hoje sei que se aqui sou feliz então é por cá que vou andar...


Viennese Whirls são o tema do desafio da Ana "O Nosso Grande Bake Off" uns biscoitos deliciosos e tão lindos, derretem-se na boca e deixam tantas migalhas!!


Viennese Whirls
receita retirada do livro The Great British Bake Off How To Bake

Massa
  • 250 gramas de manteiga à temperatura ambiente 
  • 60 gramas de açúcar em pó peneirado
  • 250 gramas de farinha 
  • 60 gramas de Maizena 
  • 1/2 colher de chá de extracto de baunilha 
Recheio
  • 125 ml de leite 
  • 2 colheres de sopa de farinha 
  • 125 gramas de açúcar
  • 125 gramas de manteiga à temperatura ambiente 
  • 1/2 colher de chá de extracto de baunilha 
  • compota de morango q.b. 

Massa:
Forrar com papel vegetal dois tabuleiros de forno, reservar. 

Com a batedeira eléctrica bater o açúcar em pó com a manteiga até obter um preparado liso, acrescentar a baunilha e voltar a bater até estar tudo ligado.  

Peneirar as farinhas e juntar à mistura anterior, misturar tudo muito bem.  

Colocar a massa num saco de pasteleiro com boquilha em forma de estrela, e levar ao frigorífico cerca de  15 minutos.

Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Formar "rosas" de tamanho igual.

Levar ao forno cerca de 15 minutos, devem ficar dourados.

Retirar, deixar arrefecer no tabuleiro durante 5 minutos e depois com ajuda de uma espátula de metal tirar os biscoitos e colocar sobre uma rede de cozinha, deixar arrefecer totalmente.

Recheio:

Num tacho pequeno dissolver a farinha no leite muito bem e levar ao lume a cozer durante cerca de 2 minutos mexendo sempre.

Deitar a mistura anterior num prato pequeno e cobrir com película aderente, levar ao frigorífico até estar fria.

Bater muito bem durante cerca de 5 minutos a manteiga com o açúcar até obter uma mistura homogénea.

Acrescentar a mistura da farinha com o leite, misturar até estar um preparado branco, adicionar a baunilha e misturar novamente.

Deitar o creme no saco de pasteleiro com boquilha em forma de estrela e levar ao frigorífico.

Barrar com compota metade dos biscoitos e por cima preencher com um circulo do recheio, cobrir com a outra metade do biscoito.

Bom Apetite...