Churros


Churros!!!

Tantas memórias boas que eles trazem.
Passeios por Madrid e Barcelona, uma busca incessante em Vigo por encontrar alguma cafetaria que os tivesse.

E depois existem as roulotes que nos meses de Verão enchem-nos de coisas boas; farturas com açúcar e canela, farturas com diversos recheios e os churros que sabem tão bem ao fim da noite...


Comi os melhores churros até hoje em Madrid, acompanhados por uma taça generosa de chocolate, rendi-me completamente e nem o calor que se fazia sentir foi entrave para que viesse uma segunda rodada!

Achei-os tão diferentes dos nossos, crocantes, sem qualquer sinal de gordura e depois o interior que parecia ter recheio mas era apenas a massa, são perfeitos para qualquer altura do dia, mesmo ao pequeno-almoço sabem bem, e não haverá nenhuma cafetaria que não os tenha logo de manhã, por isso sejam madrilenos e não se esqueçam de acompanhar a primeira refeição do dia com um ou mais churros.



Não é primeira vez que faço churros em casa, mas estes foram os meus favoritos, adorei o aroma da laranja que combina tão bem com o chocolate que os envolve.

Podem sempre acompanhar com uma taça de creme de chocolate ou de caramelo, fica ao vosso critério, ou então simplifiquem como eu...

E com eles participo em mais um Sweet World, um desafio que eu gosto muito, imenso vá.


Churros 
receita adaptada do livro Summer Berries & Autumn Fruits de Annie Rig

  • 100 gramas de manteiga cortada em pedaços pequenos
  • 175 gramas de farinha 
  • 1/4 colher de chá de fermento em pó
  • 3 ovos grandes 
  • 1 colher de chá de aroma de flor de laranjeira 
  • 200 ml de água 
  • raspa de uma laranja 
  • 1 pitada de sal 
  • açúcar para polvilhar 
  • chocolate de culinária ralado finamente 
  • óleo para fritar 

Peneirar a farinha juntamente com o fermento em pó, reservar. 

Num tacho pequeno colocar a água com a manteiga e o sal, levar ao lume até a manteiga estar derretida.  

Retirar o tacho do lume e juntar de uma só vez a farinha peneirada, mexer energicamente com uma colher de pau até a massa deslocar-se do tacho e formar uma bola. 

Deixar a massa arrefecer cerca de quatro minutos, acrescentar um ovo de cada vez misturando sempre muito bem entre cada adição tendo o cuidado de apenas juntar o seguinte ovo após a massa estar toda misturada. 

Adicionar o aroma e a raspa de laranja, voltar a misturar tudo muito bem. 

Aquecer um tacho grande com bastante óleo.

Colocar a massa dentro de um saco de pasteleiro com boquilha frisada. 

Deitar a massa directamente para o óleo quente e formar os churros utilizando uma tesoura para cortar a massa,  deixar fritar de ambos os lados. 

Retirar os churros e dispor sabre um prato com papel absorvente.  

Num prato fundo misturar o açúcar com o chocolate ralado e passar cada churro nesta mistura. 

Servir os churros. 

Bom apetite...

Semifrio de Manga

Setembro é um mês tão bom.

O mês das férias, um mês em que celebramos na família mais que um aniversário, que nos reunimos para festejar a romaria da terra, é um mês cheio de memórias boas.


Celebrar em volta de uma mesa com as pessoas que mais gostámos é algo que me deixa muito feliz, gosto de o fazer em casa, sem pressas, sem horas para acabar.

Por cá tentámos sempre que as sugestões levadas à mesa nunca sejam repetidas, que sejam apropriadas à época do ano e claro que sejam do agrado de todos.


Como já devem de imaginar as sobremesas são sempre o meu contributo, embora também meta a mão em algumas entradas.

É sempre uma tarefa difícil a de escolher a receita, as sugestões são tantas que às vezes só no dia em antes é que decido, embora a minha preferência seja sempre algo possível de confeccionar com antecedência.


Esta receita surgiu para um desses almoços, mas antes ainda foi pensada para a Nestlé que me 
desafiou a criar uma receita usando o seu Leite Condensado enquadrando-se assim no conceito, #osdiasficammaisdoces. 

O convite foi logo aceite, quem resiste a uma colher deste leite condensado? 

Tão versátil este ingrediente, capaz de tornar os nossos dias mais gulosos, eu confesso que deixo sempre um bocadinho na latinha para saborear, até acho que não deviam de ser latinhas mas sim pacotes de cartão, assim havia zero desperdícios, é que meter a língua na lata é bem perigoso!!


Este semifrio mostra tão bem o poder deste Leite Condensado, duas camadas de pura gulodice que podem ser servidas desta forma, em copinhos com uma só mousse ou com as duas, podemos usar polpa de outra fruta em vez de manga, caso o tempo seja pouco até podemos fazer sem glaze.

Vale tudo para os nossos dias ficarem mais doces e esta receita vai trazer doçura a qualquer um. 



Semifrio de Manga

Glaze de manga
  • 1  manga madura descascada e cortada em quadrados pequenos

  • 2 chávenas de chá de néctar de manga 

  • 5 colheres de sopa de açúcar 

  • 3 colheres de chá de gelatina em pó

  • 1 colher de sopa de sumo de limão

  • 2 colheres de sopa de néctar de manga

  • 2 colheres de sopa de água 


Mousse de Iogurte



  • 2 claras 

  • 7 folhas de gelatina 


Mousse de Manga 
  • 500 gramas de polpa de manga 



  • 7 folhas de gelatina 

Confecção glaze

Numa tigela pequena colocar o sumo de limão, as duas colheres de néctar de manga e a água, deitar por cima a gelatina em pó, deixar hidratar.

Num tacho pequeno misturar o néctar de manga com o açúcar e levar ao lume até começar a ferver, retirar e acrescentar a gelatina, com ajuda de uma vara de arames dissolver muito bem.

Juntar a manga em quadrados e dispor a mistura numa forma rectangular grande.

Levar cerca de 20 minutos ao congelador.

Confecção Mousse de Iogurte

Demolhar as folhas de gelatina em água fria durante 5 minutos.

Numa tigela e com ajuda da batedeira misturar o leite condensado com os iogurtes, acrescentar as natas e bater até obter uma mistura homogénea e volumosa, envolver as claras batidas em castelo com ajuda de uma espátula.

Dissolver em banho-maria as folhas de gelatina com uma colher de sopa de água, juntar ao preparado anterior e misturar tudo.

Colocar a mousse sobre a glaze de manga, levar ao frigorífico e deixar solidificar .

Confecção Mousse de manga

Demolhar as folhas de gelatina em água fria durante 5 minutos.

Numa tigela e com ajuda da batedeira misturar o leite condensado com as natas e bater até obter uma mistura homogénea e volumosa, acrescentar a polpa de manga e misturar muito bem.

Dissolver em banho-maria as folhas de gelatina com uma colher de sopa de água, juntar ao preparado anterior e misturar tudo.

Colocar a mousse sobre de manga sobre a mousse de iogurte e levar ao frigorífico de um dia para o outro.

Para desenformar colocar a forma durante alguns segundos numa tigela com água quente.

Bom Apetite...


Post patrocinado pela Nestlé. 

Mil Folhas


Terminaram as férias, os lanches demorados nas esplanadas, a euforia de mês de Agosto que passou tão rápido mas que foi tão bom.  
Confesso que já ando a pensar nas férias de 2018!!!
Voltámos à rotina, o que mais me custa não é ter que ir trabalhar, mas sim saber que em breve vem a chuva, o frio e os dias pequenitos, e este último é o pior...


Setembro é um mês de mudança, por cá já se deixou de usar sandálias à noite, tem sido tanto frio que um cobertor bem felpudo já habita na cama, já usei a minha écharpe nova nas noites de esplanada.
Olho para o quintal coberto de abóboras e chilas e prevejo o Outono a chegar e ontem comi o primeiro dióspiro soube-me tão bem, fez-me recordar os meus lanches de criança, um dióspiro no meio do pão com nozes pelo meio, uma mistura agora duvidosa é verdade mas que me fez muito feliz.  
Regresso sempre em Setembro aqui, e desta vez com uma receita para um dos meus desafios de eleição Sweet World, quando vi a escolha a minha vontade era fazer a massa folhada, mas o tempo e alguma malandrice de Verão instalou-se em mim e a solução foi trazer um rolinho dela do supermercado.
SusanaLia aqui está o meu mil folhas à espera de um chá...


Mil Folhas 

  • 1 placa de massa folhada 
  • manteiga q.b.

Creme Pasteleiro
  • 1 chávena de chá de leite gordo  
  • 50 gramas de açúcar 
  • 2 gemas 
  • 3 colheres de sopa de amido de milho (Maizena) 
  • 1 colher de chá de extracto de baunilha 
  • 1 colher de sopa de manteiga 

Preparar o creme com antecedência. 
Num tacho pequeno colocar o leite juntamente com a baunilha, levar ao lume até ferver, retirar e deixar amornar. 

Numa tigela pequena bater com a vara de arames o açúcar com as gemas,  acrescentar o amido de milho e voltar a bater. 

Juntar metade do leite com a baunilha no creme anterior e bater muito bem, juntar o restante leite e bater muito bem até estar tudo uniforme. 

Verter a mistura para o tacho do leite e levar a lume brando até engrossar tendo o cuidado de ir mexendo. 

Retirar e juntar a manteiga mexendo até esta estar completamente incorporada no creme. 

Colocar a mistura numa tigela e cobrir com película aderente, sendo que esta deve ficar colada ao creme,  deixar arrefecer e depois reservar no frio.

Pré-aquecer o forno a 180ºC. 

Barrar com manteiga um tabuleiro grande.  

Desenrolar a placa de massa folhada e cortar rectângulos de tamanho iguais devendo os mesmos serem em número par, com um garfo picar a massa.

Colocar a massa no tabuleiro e levar ao forno até estarem estaladiços e altos. 

Retirar o tabuleiro do forno e deixar arrefecer.

Depois de frios cortar os rectângulos de massa ao meio. 

Deitar o creme num saco de pasteleiro munido de uma boquilha frisada e rechear uma rectângulo de massa, cobrir com outro rectângulo e voltar a dispor o creme, terminar colocando outra placa de massa e polvilhar com açúcar em pó. 

Servir ou guardar no frio.  

Bom Apetite...


Bolo de Sêmola de Milho


Pensar que já vamos para o mês de Agosto sabe bem, mas quando o pensamento se alonga sinto uma vontade enorme de querer regressar no tempo, agarrar cada momento bom que existiu nestes últimos meses e esquecer o que de mau se passou, tenho a sensação que daqui a nada estamos no Natal...


Há muito que o destino de férias está escolhido, Milão será a nossa casa durante uma semana em Setembro, foi uma escolha por mero acaso, mas agora que o roteiro está a ficar definido sinto-me animada com a escolha, e mais animada fico só em ver as imagens de tantas bolinhas de gelado, quase que já consigo sentir a cremosidade deles e a infinidade de sabores que por lá existem.


Mas enquanto as férias não chegam vamos aproveitar o melhor do Verão, e esse melhor pode ser tanta coisa, tantos momentos, abraçar quem está longe, ficar numa esplanada até nos mandarem embora porque está na hora de fechar, fazer lanches em forma de piquenique, sentir a água gelada do mar, comer muitos gelados e muitas meloas!
Olho para estas imagens com muito carinho, a receita de um livro tão lindo oferecido por uma amiga ainda mais linda que na verdade é uma melhor amiga, o cake stand que foi a minha primeira peça Bordallo e que continua a ser dos meus favoritos, um garfo oferecido pela melhor vizinha pela qual sinto tanto carinho que não há forma de medir esse e muitos mais sentimentos, tudo na vida é importante mas às vezes o melhor dela está nos pequenos momentos.
Este bolinho é um chamamento ao Verão, a frescura do limão com a compota de morangos é deliciosa e a massa tão diferente do habitual faz com que seja obrigatório comer mais que uma fatia, e é com ele que vou para mais um desafio da querida Marta.


Bolo de Sêmola de  Milho
receita adaptada do livro Have Your Cake and Eat It, de Mich Turner

Bolo
  • 230 gramas de manteiga sem sal à temperatura ambiente 
  • 230 gramas de açúcar amarelo
  • 3 ovos grandes 
  • 200 gramas de sêmola de milho
  • 150 gramas de farinha de amêndoa
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • raspa e sumo de três limões médios
  • 50 ml de cordial de sabugueiro (utilizo esta receita)


Cobertura 
  • 200 gramas de compota de morango
  • sumo de dois limões

Pré-aquecer o forno a 180ºC.  

Barrar com manteiga e polvilhar com farinha uma forma redonda sem buraco, reservar. 

Com a batedeira bater a manteiga juntamente com o açúcar até obter um preparado cremoso, acrescentar os ovos um a um batendo muito bem entre cada adição. 

Numa tigela grande misturar com uma vara de arames, a sêmola de milho, a farinha de amêndoa e o fermento em pó.

Com a batedeira ligada acrescentar a mistura anterior à massa da manteiga bem como a raspa e sumo dos limões e o cordial, misturar tudo muito bem.

Colocar a massa na forma e levar ao forno cerca de uma hora.

Retirar o bolo do forno e deixar arrefecer totalmente dentro da forma.

Desenformar e colocar no prato em que vai servir.

Num tacho pequeno misturar o sumo dos limões com a compota e levar ao lume até levantar fervura, deixar ferver cerca de 4 minutos, retirar e despejar sobre o bolo.

Bom apetite...

Semifrio de Pêssego e Mirtilo


Estamos no Verão!!
O calor tem sido imenso, uma saída à rua é como uma corrida de 10 km, chego a casa a suar, eu bem sei que estamos no Verão, mas estas mudanças de temperaturas repentinas não me agradam nada, e prova disso é que enquanto escrevo, aqui está a começar a chover.


Estes dias pedem muita água ao longo do dia, comidas frescas e uns geladinhos para refrescar.
Tenho aproveitado esta época de tanta fruta para fazer sumo de toranja  acompanhado com muitas pedras de gelo, sumo de melancia com ameixa, sumo de nectarinas e em breve será sumo de meloas, ao natural as ameixas e os mirtilos são a fruta de tantos lanches, vou esquecer o calor e pensar que afinal o Verão tem coisas boas!


Esta sugestão é perfeita para refrescar nestes dias e para dar saída à fruta da época, mais uma vez os mirtilos são os eleitos.


Semifrio de Pêssego e Mirtilo
receita adaptada do livro Love Aimee beautiful friends family, de Aimee Twigger 

  • 235 gramas de mirtilos 
  • 55 gramas de açúcar
  • 1 colher de sopa de água 
  • 4 pêssegos 
  • 55 gramas de açúcar 
  • 200 ml de natas 
  • 750 gramas de iogurte grego natural 

Calda 
  • 40 gramas de mirtilos 
  • 2 colheres de sopa de açúcar 
  • 1 colher de sopa de água 

Colocar os mirtilos, as 55 gramas de açúcar e a colher de sopa de água num tacho pequeno, levar ao lume até os mirtilos estarem macios, retirar e passar a varinha até obter um puré. 

Em outro tacho pequeno colocar os pêssegos cortados em meias luas grandes ( sem caroço) juntamente com o açúcar e levar ao lume até a fruta ficar macia e a casca começar a sair.

Retirar, deixar amornar, tirar a casca dos pêssegos e triturar com a varinha até obter um puré. 

Numa tigela bater as natas até estarem firmes. 

Coar o iogurte para uma tigela grande e com ajuda de uma espátula juntar as natas batidas, envolver tudo muito bem. 

Juntar o puré de pêssego à mistura anterior e voltar a misturar tudo muito bem.

Numa forma de plástico e com tampa dispor no fundo 7 colheres de sopa do puré de mirtilos, levar ao congelador.

Dividir a mistura do puré de pêssego por duas tigelas, sendo que uma delas deve ter um pouco mais da mistura.

Juntar o puré de mirtilos na tigela com mais mistura de puré de pêssego, misturar tudo muito bem e deitar na forma sobre o puré de mirtilos, levar ao congelador cerca de 10 minutos.

Retirar a forma do congelador e deitar com cuidado a restante mistura do puré de pêssego, levar ao congelador cerca de 6 horas.

Calda

Colocar todos os ingredientes para a calda num tacho pequeno e levar ao lume e deixar ferver durante cerca de 5 minutos, retirar passar a varinha mágica até obter um puré, deixar arrefecer totalmente e aplicar.

Desenformar o semifrio e servir cada fatia regada com a calda.

Se tiver dificuldade em desenformar, colocar a forma numa tigela com água quente durante alguns segundos.

Bom Apetite...


Crumble de Cerejas com Gelado de Baunilha



Daqui a poucos dias o mês que mais gosto termina.
Junho é um mês especial para mim, é nele que festejo o meu aniversário, em que realmente começo a ter noção que em breve irei de férias, um mês com os dias grandes e com umas temperaturas tão boas, é mesmo especial.


Junho trás com ele tanta fruta e legumes, e este ano as árvores de fruto estão tão carregadas que chegam a partir, para além do ruibarbo que já por cá passou, pela primeira vez as minhas amoras gigantes (têm aspecto de framboesa) resolveram dar fruto, e que ano tão bom em ameixas e muitas delas serão reduzidas a compota.


É durante este mês que as cerejas abundam por cá, não existe nenhuma cerejeira em casa mas existe a mesma Senhora de todos os anos, no mesmo local e sempre com imensos quilos de cerejas para vender, é quase paragem obrigatória para tantos que passam naquela estrada.
Cerejas é o tema do desafio da Marta, foi uma escolha tão boa, e eu trago uma sugestão com duas receitas.
Podem fazer apenas o crumble sem gelado que vão gostar na mesma, claro que a todos os gulosos aconselho a fazerem as duas receitas.
Em relação ao gelado foi uma enorme surpresa, tão cremoso, com um aroma a baunilha tão bom, e com esta simplicidade toda descobri que não vou descansar enquanto não experimentar todas as receitas de gelados deste livro.


Crumble de Cerejas com Gelado de Baunilha 
receita adaptada do livro Alternative Baker de Alanna Taylor-Tobin


Cerejas

  • 680 gramas de cerejas descaroçadas cortadas em pedaços 
  • 1 colher de sopa de amido de milho 
  • 25 gramas de açúcar amarelo

Cobertura 

  • 65 gramas de farinha de aveia 
  • 55 gramas de farinha de arroz
  • 12 gramas de farinha de tapioca 
  • 50 gramas de flocos de aveia 
  • 100 gramas de açúcar amarelo
  • 85 gramas de manteiga sem sal, fria, e em pedaços pequenos 
  • 20 gramas de chocolate preto em pedaços pequenos 
  • 1 colher de chá de extracto de baunilha 
  • 1/2 colher de sal fino 
  • 1 colher de sopa de açúcar demerara 

Gelado de Baunilha (sem máquina) 
receita retirada do livro Vanilla Bean Baking de Sarah Kieffer

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 colher de sopa de extracto de baunilha 
  • sementes de uma vagem de baunilha 
  • 57 gramas de queijo creme 
  • 2 pacotes de natas

Gelado:  

Numa tigela misturar com a batedeira eléctrica o leite condensado, o extracto e as sementes de baunilha. 

Em outra tigela bater o queijo-creme até estar cremso e acrescentar as natas, bater bem até ficarem firmes.

Adicionar a mistura anterior à mistura do leite condensado e voltar a misturar até estar tudo muito bem incorporado. 

Colocar o gelado num recipiente com tampa e que possa ir ao congelador. 

Levar de uma dia para outro o gelado ao congelador sempre com a tampa. 


Cerejas e Cobertura

Pré-aquecer o forno a 190ºC. 

Colocar numa tigela os ingredientes para as cerejas e envolver tudo muito bem, ir mexendo enquanto se faz o crumble, três vezes é o  suficiente.

Misturar numa tigela grande a farinha de aveia, de arroz e de tapioca com o açúcar, os flocos de aveia, o sal e o chocolate. 

Acrescentar a manteiga e o extracto de baunilha à mistura anterior e com as pontas dos dedos formar uma massa com grumos.

Despejar a mistura das cerejas incluindo o sumo numa assadeira e dispor por cima os grumos da cobertura.  

Salpicar com o açúcar demerara e levar ao forno cerca de 40 minutos.  

Retirar e deixar arrefecer à temperatura ambiente.  

Servir acompanhando de uma bola de gelado de baunilha.  

Bom Apetite...

Spanische Windtorte


Apresento-vos um bolo de casamento!!
Este bolo foi uma alegria, por momentos tive a sensação que devia de fazer um acordo com a rede eléctrica, depois os nomes que por cá lhe puseram, mas a resposta mais acertada para mim veio da minha mãe, nada mais que um bolo de casamento do século passado, embora ache que ela queria dizer de há dois séculos.


Quando li o post da Susana tive a sensação que a coisa ia correr mal, muito mal, sou uma pessoa sem grande vontade para esperar, e aquelas idas todas ao forno, deixar arrefecer, decorar e voltar arrefecer foi um desânimo, mas como já aqui disse eu adoro estes desafios, aprender e crescer é sempre tão bom, portanto mãos à obra.
Houveram duas tentativas, a primeira correu mal porque não esperei que as rodelas arrefecessem, e porque a conversa com a vizinha é sempre tão boa que a base e a tampa queimaram,desistir? Nunca.
No domingo meti na cabeça que  tinha que ser e foi, mas atenção a tampa não arrefeceu totalmente e daí ter custado a cortar, mas e agora? É uma receita difícil?
Nada, nada, achei a minha receita do  bolo sao marcos bem mais trabalhosa, e se fiquei com receio do merengue suiço quando comecei a fazer pensei é só isto?
Acreditem em nada esta sugestão deve assustar, para mim há alguns pontos importantes para bons resultados, primeiro sejam pacientes deixem mesmo arrefecer todas as rodelas e tampas, a temperatura do forno deve ser seguida à risca assim como é importante pré-aquecer o mesmo, da segunda vez que fiz coloquei mais cedo e notei melhores resultados, a Lia diz que não esperem conseguir cortar fatias perfeitas, palavras sábias, esqueçam isso, eu por momentos até pensei fazer um trifle!
A frescura dos morangos combina tão bem com o crocante do merengue, é um casamento perfeito, em relação às flores podem sempre usar pasta de açúcar ou até cristalizar uns amores-perfeitos lilás até que esta era a minha ideia inicial mas tinha que esperar ainda mais e daí ter perdido a vontade.
E depois de tanta espera aqui fica a minha participação Susana.


Spanische Windtorte
receita retirada do blog basta cheio

Merengue Francês

  • 7 claras à temperatura ambiente 
  • 1/2 colher de chá de creme tártaro (usei fermento em pó)
  • 380 gramas de açúcar 

Merengue Suiço 
  • 2 claras à temperatura ambiente
  • 125 gramas de açúcar

Recheio 
  • 200 ml de natas para bater 
  • 25 gramas de açúcar em pó
  • 25 gramas de açúcar
  • 200 gramas de morangos maduros cortados em pedaços pequenos 
  • 2 colheres de sopa de vinho do Porto  

Decoração
  • pétalas de flores em lilás

Pré-aquecer o forno a 120ºC.  

Forrar três tabuleiros com papel vegetal e desenhar 5 círculos com 18 cm e untar o papel com manteiga, reservar. 

Numa tigela limpa bater as claras (7) com fermento até estarem firmes e juntar o açúcar colher a colher, batendo bem entre cada adição, deve deixar de ouvir ao bater o açúcar. 

Colocar o merengue num saco de pasteleiro com a boquilha larga e lisa e preencher dois círculos começando pelo centro.

Desenhar nos três círculos o contorno dos mesmos devendo ter cerca de 3 cm.  

Levar ao forno cerca de 45 minutos até o merengue estar firme.  

Retirar do forno e deixar arrefecer completamente.

Forrar novamente um tabuleiro de forno com papel untado e colocar um dos discos preenchidos, por cima deste e com ajuda do saco de pasteleiro verter montinhos de merengue e por cima colocar um dos discos, voltar a dispor montinhos de merengue no disco e colar o segundo disco, terminar por colar o terceiro disco como foi feito nos restantes. 

Depois de estar o bolo montado com a base e os discos barrar por fora com ajuda de uma espátula deve ficar uniforme.  

Levar ao forno ( não desligue depois de retirar os discos) cerca de 35 minutos.

Retirar e deixar arrefecer.  

Preparar o merengue suiço.

Numa tigela limpa e que possa ir a banho-maria colocar as claras com o açúcar e levar ao lume em banho-maria batendo com uma vara de arames até o açúcar estar dissolvido, retirar e com a batedeira bater muito bem o merengue até estar firme e frio.

Deitar o merengue num saco de pasteleiro com a boquilha frisada e decorar a caixa de merengue e a tampa.

Levar ao forno pré-aquecido durante 20 minutos a 120ºC.

Retirar e deixar arrefecer completamente.

Decorar o bolo com as flores, para as mesmas aderirem colocar merengue suíço em cada pétala como se fosse cola.

Numa tigela colocar os morangos e peneirar o açúcar em pó por cima e salpicar com o vinho do Porto, deixar repousar 35 minutos.

Bater as natas com o açúcar até estarem firmes, coar os morangos de forma a irem com muito pouco liquido e envolver nas natas.

Preencher a caixa com o recheio de morangos e tapar com a tampa decorada.

Servir ou se não consumir todo guardar no frio.

Bom Apetite...